Acordes que valem a pena

musica




Regida pelas mãos do competente maestro Marcelo Maganha, Orquestra Municipal de Sopros de Lençóis Paulista completa 25 anos

Angelo Franchini Neto

O ano de 2019, mais precisamente o dia 23 de novembro, é especial para a Orquestra Municipal de Sopros “Maestro Agostinho Duarte Martins”, afinal, ela completa 25 anos de uma rica história pautada em dificuldades, superações e, principalmente, muito sucesso. E boa parte desse sucesso pode ser creditado ao maestro Marcelo Maganha, atual regente do grupo.



Como tudo começou

O trabalho começou em meados de 1994. Na época, Marcelo era apenas mais um trompetista entre os 12 músicos que compunham os primórdios da Orquestra. “Havia uma escolinha de música na cidade e alguns grupos, entre eles a Banda de Coreto, regida pelo maestro Agostinho Duarte Martins.

Esse grupo acabou e mais tarde voltou como banda Heitor Villa Lobos, em meados de 1994. Depois se tornou Banda Sinfônica Vila Lobos e Banda Sinfônica Municipal de Lençóis Paulista, esta última que deu início à Orquestra”, lembra o maestro, que assumiu a regência do grupo em 1997.

Colhendo os frutos

Durante estes 25 anos de trabalho, a Orquestra encarou alguns obstáculos. “Nós pedíamos para tocar nos lugares de graça, e mesmo assim muita gente não abriu as portas para nós”. Mas as dificuldades não foram páreos para a dedicação de Marcelo e os outros músicos. Tanto que os anos passaram e o trabalho logo começou a ser reconhecido.

“Hoje, a nossa história é rica e de excelência graças ao trabalho dos músicos e das diversas administrações que passaram pelo município durante todos esses anos”, lembra o humilde Marcelo, que tem sim o seu nome marcado nestas mais de duas décadas de trabalho.

Dentre os tantos espetáculos memoráveis protagonizados pela Orquestra, dois deles (mais recentes) chamam a atenção do maestro: o concerto com o trombonista da Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) Darcio Gianelli, referência no ramo, e o Queen Sinfônico, que foi o ápice do sucesso em termos populares. “Também gravamos com grandes nomes da música, como Renato Teixeira, Toquinho, Cézar & Paulinho, regentes convidados, solistas internacionais e tantos outros que emprestaram a nós os seus talentos”.

Hoje, 25 anos depois

Composta por 44 integrantes, a Orquestra continua firme com os seus projetos. “Todos os músicos se dão bem e isso favorece o trabalho. Se não houver harmonia, e não somente em termos técnicos, mas o contato pessoal, não acontece nada. E aqui tem muita harmonia.

O grupo é bastante heterogêneo, composto por profissionais da música e também pessoas que atuam em outras áreas, mas o resultado é sempre profissional. Sinto-me lisonjeado e extremamente agradecido a Deus, pois esses músicos lutam e atuam pela música”, finaliza Marcelo.