A arte da tapeçaria

estofados




Izael encontrou no ofício de tapeceiro um trabalho prazeroso e a fonte para empreender

Priscila Pegatin

Presente em praticamente todas as casas, os estofados ficam nos cômodos que remetem bem-estar e aconchego. Afinal, é na sala que a família se reúne e que as visitas são recepcionadas. Mas, por traz do conforto e da beleza dessas peças estão profissionais atentos a cada detalhe, isso para produzir estofados que se encaixam a cada casa. Um deles é Izael Sator de Morais, tapeceiro.

Há 35 anos ele foi apresentado ao ofício e logo de cara se apaixonou. “Comecei em 1983, gostei e não parei mais”, relembra.

No início, para se aperfeiçoar na atividade, se mudou para Americana onde fez o curso de tapeceiro. “Fiquei lá por dois anos e depois voltei”.



Tapeceiro e então empresário, Izael relembra que já trabalhou na reforma e encomenda de sofás sob medidas direto para os clientes e em parceria com lojas tradicionais de Lençóis Paulista, como Movilac e Móveis Guido.

Foi assim, aos poucos, que em 1999 inaugurou a sua tapeçaria, a Tapeçaria Real, hoje, Izael Estofados.

Com visão empreendedora, Izael nunca se deu por satisfeito na profissão, prova disto é que em 2008 expandiu a produção atuando na linha de bancos de lancha, segmento que permanece até hoje.

Somando mais de 30 décadas de experiência, o Empresário do Mês explica que é complicado se considerar um tapeceiro completo. “Porque sempre tem novidade, tem algo diferente a aprender”, diz. “É uma área com muita inovação, tem que estar atento para acompanhar”. Do tempo em que batia prego e tachinha agora, por exemplo, Izael diz que é tudo com pressão pneumática. “O prego é colocado com pressão pneumática”, diz. “O aumento na praticidade resulta em um acabamento diferenciado”, explica ele.

Atento a cada detalhe da produção, é assim, de perto, que Izael acompanha a atividade da empresa. “Graças a Deus nunca faltou serviço, dá para equilibrar bem”, diz. E como conseguir essa receita mágica? “É ter amor pelo que faz, se não tem amor você nunca faz bem feito”, ensina o Empresário do Mês.