Artigo de junho de Nelson Failace

infância, SP-261, SP 261, Palestra Itália, política, Lençóis, refugiados, Lençoense, Livro, Acontecimentos, hiléia




Lençóis Paulista, triplamente felizardo

Não é sempre que uma cidade como a nossa possa ser aquinhoada com três acontecimentos relevantes, quase de uma só vez. Deste momento, foram nada menos do que três eventos que vão realmente beneficiar o município.

O primeiro deles pode ser a nova rodoviária. Iniciada no governo anterior, uma herança bendita, foi muito bem recebida pela atual administração, que fez questão de dotá-la de um acabamento de primeira, deixando-a perfeitamente apta às funções para as quais foi erguida.



Sua localização é estratégica, pois fez dela uma rodoviária intermunicipal, que pode acolher ônibus das mais diversas companhias que trafeguem pela Rodovia Marechal Rondon, facilitando em muito as viagens dos cidadãos lençoenses.

Outro fato digno é a manutenção da antiga rodoviária, pelo seu atendimento urbano e estratégico.

Mais uma notícia alvissareira é a da construção de 200 casas populares pelo CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo}. Realmente não vai alcançar toda a demanda residencial do município, mas já é um alento e deixando esperanças de que outras mais poderão ser anunciadas a médio prazo.

A terceira nem direi que é alvissareira, mas sim que se trata de uma notícia sensacional, espetacular, extremamente desejada e esperada por toda a população e que vai trazer inúmeros benefícios a todos.

Toda a região sentirá os efeitos desta grande nova. Nossos dedicados empresários que criaram o Grupo Lwart- ao qual pertence a Lwarcel -, que levaram a bom termo até esta época, vão receber um grande e merecido prêmio por sua dedicação empresarial em todos esses anos.

E surgiu o grande momento. Momento este esperado não somente pelo grupo empresarial Trecenti, mas por todos nós, que torcíamos veementemente para que essa negociação fosse levada a bom termo.

E essa negociação foi sacramentada. Um forte grupo de origem asiática, RGE (Royal Golden Eagle), fechou negócio após uma tramitação normal nesses casos. Houve muita expectativa de todos, mas a coisa aconteceu e de forma esplêndida. O Grupo RGE, de origem indonésia, bateu o martelo.

Sua meta está dentro de seu próprio planejamento. Pretendem ampliar a fábrica, que passará das atuais de 250 mil toneladas por ano para nada menos do que 1,5 milhão de toneladas atuais. Formidável! Para garantia do bom relacionamento e outros detalhes mais, Carlos Renato Trecenti foi confirmado como conselheiro. Um grande passo que, repito, vai mexer com toda a região, notadamente Lençóis Paulista.

Nelson Faillace
Escritor, cronista, poeta e criador da Academia Literária Lençoense

Confira outros artigos de Nelson Faillace no site da Revista O Comércio