Banco do Povo abre microcrédito para auxiliar empreendedores durante pandemia

WhatsApp Image 2020-04-02 at 11.42.58




Crédito vai de R$ 200 até R$ 20 mil, independentemente de ser formal ou informal

O Banco do Povo Paulista (BPP) vai conceder R$ 25 milhões em linhas de microcrédito para empreendedores de pequenos negócios em todo o estado.

O objetivo é auxiliar as empresas paulistas no enfrentamento aos impactos financeiros causados pelo coronavírus (Covid-19).



Os limites para crédito vão de R$ 200 até R$ 20 mil, independentemente de ser formal ou informal (MEI,ME, EIRELLI, LTDA, EPP) ou produtor rural (com ou sem CNPJ).


Benefícios

As condições são válidas até 30 de abril, podendo ser prorrogadas. A linha de microcrédito do Banco do Povo, que já é competitiva, tem agora a taxa fixada para 0,35% ao mês.

O prazo para pagamento passa de 24 para 36 meses, incluindo o prazo de carência, que também aumenta de 60 para 90 dias.

Os valores estão condicionados à análise de crédito e comprovação de toda documentação necessária para empréstimos de pessoas jurídicas, micros e pequenos negócios formais e também microempreendedores urbanos e rurais, inclusive do setor informal.


Unidade de Avaré

Convênio com a Prefeitura da Estância Turística de Avaré, a unidade local do Banco do Povo fica na Casa do Cidadão.

O atendimento presencial está suspenso por conta da pandemia do coronavírus, mas as informações e orientações são prestadas aos interessados das 7 às 13 horas pelo telefone (14) 3732-6101 ou pelos e-mails avare@bancodopovo.sp.gov.br ou bruna.pera@avare.sp.gov.br.

“Diariamente, atendemos pessoas que querem investir e alavancar seu próprio negócio, com juros acessíveis e parcelas que permitam a reprogramação financeira da sua empresa. Agora, diante dessa pandemia, nossa equipe está empenhada em orientar a todos que se enquadram no programa”, afirma a agente de crédito Bruna Pera dos Santos.


O programa

O Banco do Povo Paulista é um programa de microcrédito produtivo desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), em parceria com as prefeituras.

O órgão credita valores para capital de giro e investimento fixo, como a aquisição de mercadorias em geral, matérias-primas, máquinas, ferramentas, equipamentos, veículos e até mesmo itens para publicidade e divulgação do empreendimento.