Cuidando da saúde

Idoso




Médica especialista em Geriatria, Beathriz dá algumas dicas para que o idoso atinja a longevidade; prevenção e cuidados especiais são as chaves para o sucesso

Angelo Franchini Neto

Não é segredo para ninguém que a prevenção é o segredo para a longevidade. Quando crianças, visitamos com frequência o pediatra; na idade adulta, procuramos um clínico geral e especialistas das mais diversas áreas. Mas, e quando chegamos à melhor idade, a quem recorremos? A resposta é simples: ao geriatra.

E por falar em idoso, a médica especialista em Geriatria, Beathriz Casado Vanzella Carnietto, aproveita para dar algumas dicas, já que os cuidados nessa idade precisam ser redobrados. Confira!


Prevenção

Como todos nós já sabemos, prevenir é melhor do que remediar. E com o idoso funciona da mesma maneira, segundo Beathriz. “Quando falamos em prevenção, logo pensamos em alimentação balanceada e atividades físicas. Mas vale a pena destacar, também, a ingestão correta de medicamentos e a hidratação. Muitos idosos esquecem de tomar água e, por isso, os familiares devem sempre ficar atentos”.

Comorbidade

As doenças que mais prevalecem no idoso são diabetes, pressão alta, pneumonia e infecção urinária de repetição. “Conforme a idade avança, a imunidade diminui e a saúde cardíaca não é mais a mesma”. Segundo Beathriz, a depressão também se faz presente. “Algumas pessoas são propensas a ter o quadro depressivo, mas o idoso é mais suscetível”. O simples avanço da idade e as suas consequências fazem com que a depressão desencadeie com maior frequência, já que muitos veem a melhor idade como um momento delicado da vida.

Alzheimer

O Alzheimer não tem cura, mas existem medicamentos que retardam e até estabilizam a doença. “O Alzheimer é complicado, porque a probabilidade de o cuidador também ficar doente é muito grande. Ver um familiar nessas condições é complicado, por isso sempre oriento os pacientes que reclamam de esquecimento a fazerem atividades cognitivas, como jogo de memória, palavra cruzada e artesanato”.

A percepção familiar é importante para que a doença seja tratada desde o início. “A partir do momento em que tudo começa a ficar muito confuso e o idoso começa a esquecer de algum familiar próximo, aí sim, é importante procurar um médico”.

Frio

Com a chegada do inverno, o vírus da gripe se propaga com maior facilidade. Para tentar freá-lo, o Governo Federal realiza anualmente a campanha de vacinação para idosos e outros grupos de risco. “O idoso corre mais riscos de ser alvo da gripe, justamente por conta da imunidade não ser mais a mesma”, ressalta Beathriz. Vale lembrar que a vacina não protege o paciente de todos os tipos de vírus, apenas dos mais perigosos. “Os idosos estão mais propensos a infecções e, caso sejam alvo dos vírus, a probabilidade de haverem complicações é muito maior”.

Manter o idoso hidratado e aquecido também ajuda na prevenção contra a gripe durante o frio.