Por que é tão difícil emagrecer?

Dr Fabio





Não é de hoje que o tema “emagrecimento” vem ocupando cada vez mais nossa atenção. Seja nas academias de ginástica, nos consultórios médicos ou nas constantes subidas em balanças que nem sempre apontam para o resultado que gostaríamos.

Emagrecer é sempre um desafio. A jornada do emagrecimento fica ainda mais difícil com a quantidade de informações, nem sempre confiáveis, disponíveis na internet e nas redes sociais. Dicas, opiniões e conselhos correm soltos e segundo pesquisas recentes, a rede de compartilhamento de vídeos é a mais utilizada pela maioria das pessoas para se informar sobre emagrecimento e dieta saudável.



A verdade é que perder peso não se resume apenas a comer uma quantidade menor de alimentos e fazer exercícios. É um processo que envolve: escolhas alimentares, hormônios, genética, hábitos de vida, biologia e principalmente o estado emocional.

É justamente por se tratar de tantos fatores envolvidos na perda de peso que hoje sabemos ser de apenas aproximadamente 20% a quantidade de pessoas que conseguem perder peso e manter suas conquistas por mais de um ano.

Fatores emocionais e comportamentais sempre estão presentes e ocupam um papel extremamente importante para que a perda de peso seja bem sucedida e mantida.

A forma como você lida com o estresse e a ansiedade pode definir o sucesso ou não de sua perda de peso, pois pessoas estressadas tendem a comer como uma válvula de escape para aliviar as tensões e problemas e acabam ingerindo uma maior quantidade de alimentos calóricos e ricos em açúcar e gordura que aumentam transitoriamente a sensação de prazer.

Quando você se alimenta de forma consciente, consegue diferenciar melhor quando está realmente com fome e seu organismo precisa de nutrientes de quando é apenas gula e está comendo por prazer, e muitas vezes uma quantidade maior do que a necessária.
A gula normalmente passa em 15 ou 20 minutos, já a fome não, ela aumenta ao longo do tempo.

Mais do que emagrecer, procure mudar seu estilo de vida. Tente aumentar a prática de atividade física, estabeleça uma nova relação com a comida e com seus hábitos alimentares, vá mais devagar, preste mais atenção ao que come e principalmente busque o autoconhecimento.

Seu estilo de vida afeta diretamente sua saúde física e mental. Seu corpo é seu maior patrimônio. Cuide dele com carinho.

Dr. Fábio Luiz Vicente
Psicólogo Clínico e Neuropsicólogo

Confira outros artigos de Dr. Fábio Luiz Vicente no site da Revista O Comércio