Exercícios e esportes em tempos de pandemia

Obesidade infantil, Exercício




Já sabemos que o exercício físico melhora a imunidade e a saúde em geral. Porém, com a pandemia, muitas pessoas que praticavam atividades de forma regular deixaram de fazer ou reduziram bastante sua frequência e intensidade.

Não imaginávamos a proporção que o isolamento poderia tomar e as restrições impostas à prática esportiva. Profissionais de saúde em geral reforçam a necessidade de fazer exercícios tomando todos os cuidados que a situação ainda pede.

Se para as pessoas que malhavam duas ou três vezes por semana o cenário ficou complicado, imagine para os atletas profissionais. Pegos de surpresa com a paralisação dos treinos; muitos foram “colocados na geladeira” sem prazo de retorno.



A exemplo de quem faz atividade física para viver melhor, os profissionais do esporte tiveram rotinas alteradas, com impactos na alimentação, no acompanhamento e na forma e no desempenho físicos. Isso sem falar na repercussão econômica (redução salarial, perda de patrocinadores e ausência de competições).

Com o controle da pandemia, como será a retomada? Teremos público assistindo aos jogos nos ginásios e estádios? Como os jogadores poderão se comportar em campo ou quadra? Como serão as viagens? Muitas perguntas sem resposta na atualidade. O que está certo é que, em relação aos exercícios e esportes, o importante é não parar a atividade de forma abrupta. Não importa se você é atleta amador ou profissional, busque continuar se exercitando.

Esse comportamento é essencial porque, confinados e sem treino constante, tendemos a sofrer um desajuste no balanço energético. Gastamos menos calorias e estocamos mais, principalmente na forma de um consumo exagerado de alimentos inadequados. Equilibrar evita o acúmulo de gordura e perda de massa muscular.

Em relação aos atletas, há uma preocupação ainda maior com o risco de lesões após tanto tempo sem treino e condicionamento. Daí porque devemos pensar não em pré-temporada, mas em uma temporada de readaptação e retorno das atividades esportivas.

Na Europa já assistimos a retomada de treinos em grupo e jogos em estádio (sem torcida). No Brasil, ainda não.
Diante dessa situação, a prática de atividade física e uma rotina equilibrada promovem a manutenção da saúde e, por consequência, uma forma física que permitirá um retorno mais tranquilo aos exercícios intensos mais adiante.

Daniel Orsi Covre
Educador físico

Confira outros artigos de Daniel Orsi Covre no site da Revista O Comércio