No comando

Escritório Camargo




Confira como Milena, do Escritório Camargo, se tornou uma empresária de respeito no setor de contabilidade

Angelo Franchini Neto

Uma empresária que vive o hoje, mas não deixa de planejar. Essa é Milena Antunes de Camargo Crespilho, a mulher forte do Escritório Camargo. Ela é a Empresária do Mês da Revista O Comércio, e não é à toa. Com muita competência e destreza, Milena conduz os trabalhos em um setor pautado por mudanças.

De ajudante à comandante

Tudo começou em 1992, com o pai de Milena, que montou o Escritório Camargo. “No ano seguinte, com apenas 12 anos, já comecei a trabalhar com ele. Fazia serviços externos, como recebimentos, banco e encaminhamento de notas fiscais”. A paixão pela contabilidade logo tomou a Empresária do Mês e foi questão de tempo para que ela assumisse o negócio. “Aos poucos fui ganhando experiência e responsabilidades, até que em 2002 me formei no curso técnico em Contabilidade”. Quatro anos mais tarde, em 2005, Milena tirou o registro no CRC (Conselho Regional de Contabilidade) e se tornou de vez empresária.



Sobre a transição de uma simples colaboradora à dona do negócio, Milena confessa que não sentiu dificuldades. “Na verdade, para mim, essa transição foi tranquila. Quando o meu pai conduzia a empresa, a parte financeira já era realizada por mim. Por isso foi algo natural e gradativo”.

Atualizações constantes

A contabilidade muda diariamente, por isso, Milena sempre faz questão de se atualizar. “Muitas vezes a gente fica perdido e é necessário sempre estar em contato com outros contadores. O governo altera uma lei e a gente precisa se adaptar, fazer algum curso específico ou ir à palestras sobre determinados temas. Também converso com o pessoal da faculdade como forma de trocar experiências”. Além de técnica em Contabilidade, a Empresária do Mês ainda é formada em Gestão de Recursos Humanos e MBA também em Recursos Humanos.

O futuro

Casada há 11 anos com Eduardo e mãe do pequeno Caio, de apenas nove anos, Milena sempre faz questão de reservar um tempo à família e ao voluntariado na igreja católica. “O voluntariado é uma maneira que encontrei para desestressar, tirar o peso do trabalho”. Sobre o futuro, ela pensa em viver um dia de cada vez. “Sou uma pessoa pés no chão, mas para este ano, o meu planejamento é, após cinco anos, finalmente tirar férias”, finaliza.