Novo coronavírus: temê-lo ou não

Jornalista





O novo coronavírus é o assunto do momento. Sites, jornais, rádios, TVs, podcasts… Todos os veículos de comunicação debatem a doença e indagam: será que o mundo vai passar por uma situação de pandemia? Ou há um exagero decorrente das fake news e consequente instauração do medo?

Voltando ao título deste artigo, amigo leitor, você deve estar se perguntando: mas este espaço não é reservado a assuntos relativos à marketing e comunicação? Pois é, não quero aqui discutir o quão poderoso é este vírus, afinal, não sou um especialista no assunto (se bem que vou trazer alguns dados relevantes mais à frente).



O ponto a ser debatido é a proporção que a doença tomou, principalmente no Brasil, onde, pelo menos até o fechamento desta edição da Revista O Comércio, nenhum caso havia sido confirmado. Tivemos apenas algumas suspeitas que foram descartadas após exames laboratoriais.

Um destes casos suspeitos foi noticiado por um médico de Bauru em sua rede social particular. Não demorou muito para que a rede regional fosse tomada pelo medo. Novo coronavírus em Bauru? Como assim? Em pouco tempo o caso suspeito se tornou confirmado, através da análise sempre muito criteriosa dos internautas. A cooperativa de saúde, que teria sido responsável pelo atendimento, logo se pronunciou a respeito do caso; a Prefeitura Municipal também emitiu uma nota oficial; e o caso foi descartado após exames.

Recentemente, entrevistei a infectologista Geovana Momo Nogueira de Lima. Ela, assim como outros profissionais do mundo, lembrou que a letalidade do novo coronavírus é bastante baixa: 3%. A termos de comparação: o SARS (doença respiratória contagiosa e causada por um coronavírus) tem uma taxa de letalidade de aproximadamente 11,7% no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde. Na comunidade biológica, portanto, a preocupação maior está na maneira de transmissão, que ocorre pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas. Ou seja, de maneira rápida e fácil.

Quando se fala em doença, é claro que logo vem à mente cenas de hospitais lotados. Mas nem sempre é assim. Portanto, antes de sair por aí propagando fake news, que tal consultar um veículo de comunicação confiável e tirar dúvidas a respeito da notícia? Com certeza, desta forma, assuntos como o novo coronavírus não irão causar pânico desnecessário na população brasileira e mundial.

Angelo Franchini Neto
Jornalista, especialista em Marketing Digital e em Estratégias Competitivas: Comunicação, Inovação e Liderança