Poodles, uma paixão em família

cassia




Mãe e filha sempre gostaram de animais; hoje elas têm como companheiras a Pepita e a Pipoca

Priscila Pegatin

Partiu de Cristiane Maria Rando de Oliveira a ideia de incluir mais um membro à família: o Kiko. A chegada do cãozinho foi o início de uma paixão que pode-se dizer eterna, afinal, ela e a mãe, Cássia Rando, são unânimes em afirmar que desde então não sabem mais viver sem a companhia dos pets.

Depois do Kiko veio a Kika e a Fusquinha, todos “parentes caninos” que por anos foram a diversão da casa. Mas, atualmente, as donas do pedaço mesmo são as poodles Pepita e Pipoca.



Pepita tem seis anos e é filha da Lilica, cachorra do Gabriel, filho da Cássia. A Lilica, porém, agora mora em Manaus (AM).

Já a Pipoca chegou há dois anos, quando Cristiane decidiu que também queria um poodle. “Quando ganhei a Pipoca achei que era um poodle comum, mas ela foi crescendo, crescendo, não sabia que ia ficar grande e peluda desse jeito (risos)”, conta. “Mas é muito amor por ela”, garante.

Estilo e personalidade

As duas cachorras moram em casas diferentes – a Pepita com a Cássia e a Pipoca com a Cristiane – mas pelo menos duas vezes na semana dividem o mesmo lar. “De terça e quinta-feira deixo a Pipoca com a minha mãe”, diz Cristiane em uma quinta-feira, data da entrevista e dia este da semana em que as duas poodles saem juntas para o banho e tosa na Animania.

“Ah, de quinta-feira elas já sabem que vão tomar banho. Voltam todas felizes”, diz Cássia.
Em casa, Cristiane mantém os cuidados penteando a Pipoca todos os dias e levando para passear. Já Cássia confessa que adora usar acessórios e roupas – quando inverno – na Pepita. “Ela tem uma roupa de sapo que é um charme”, conta.

Pepita, por ser mais velha, é quem cuida e dá bronca na Pipoca, se preciso. “Mas tudo de brincadeira”, diz Cristiane. É também ela a mais ciumenta e apegada à família. “Quando vamos viajar temos que arrumar as malas escondidos e não comentar nada perto, senão ela fica triste”, diz Cássia. “Ela já foi para Águas de São Pedro, fica muito comportada, mas nem sempre conseguimos levar junto”, explica. Nesses dias de folga é a vez da Pepita ir para a casa da Pipoca.

Mas o que as duas gostam mesmo é de festa e brincadeira. A Pipoca chegou a ganhar um prêmio de melhor fantasia no Carnaval de 2018, por estar pintada de rosa. Pepita também foi, de unicórnio, mas com a movimentação da festa teve que ir embora. Já em casa, Pepita não fica envergonhada. “Ela brinca no meio dos meus crochês, com as bolinhas e até com a Pipoca”, conta Cássia. E foi nesse clima de harmonia, entre pulos e brincadeiras, que toda a família pousou para a foto, uma boa recordação entre os melhores amigos.