Relaxamento guiado

relaxamento




Professoras de Macatuba implantam projeto pioneiro; alunos aprovam iniciativa

Angelo Franchini Neto e Priscila Pegatin

Imagine uma sala de aula em que as carteiras e cadeiras dão lugar a colchonetes. A lousa é substituída por um som ambiente. As professoras ensinam sobre respiração e concentração. E os alunos permanecem deitados, calmos e concentrados. Este é o cenário de quem entra pela primeira vez na classe de Relaxamento Guiado, em Macatuba.

O projeto, desenvolvido há quatro meses pelas professoras Alessandra Aparecida da Silva Farão e Ariane Ferreira Pedroso é realizado dentro da Escola Caic Cristo Rei, junto com o Projeto Educartes, este oferecido em contraturno escolar.



A iniciativa é pioneira na região e atende inicialmente alunos do 1º ao 5º ano (de seis a 11 anos). Os bons resultados já despertam o interesse de outros profissionais.

Inala e exala na prática

As aulas de Relaxamento Guiado são organizadas na segunda-feira de manhã e na sexta-feira à tarde. “Temos dez turmas de 18 alunos. O relaxamento dura de 40 a 60 minutos”, diz Alessandra.

Nesse período os alunos ficam deitados em colchonetes, praticando a respiração. O ambiente é preparado com som e aromas que auxiliam no relaxamento. “Os objetivos são que a criança conheça o ritmo corporal, relaxem, melhorem a concentração e o autocontrole”, aponta Ariane.

A duração do projeto para essas primeiras turmas é de sete meses, mas os professores e pais já têm notado melhoras no comportamento e até nas notas dos estudantes. “O foco mesmo é o convívio social, é amenizar problemas de falta de paciência, facilitar o convívio deles e dos funcionários”, diz Ariane.

Alunos aprovam projeto

Gustavo Vieira da Silva, oito anos, é um dos estudantes que pratica o Relaxamento Guiado. “Me sinto mais calmo, relaxado”, conta ele durante uma das aulas.

Beatriz Vitória, 11 anos já nota mudanças positivas no seu comportamento. “Fiz mais amigos, na sala de aula me sinto mais calma e em casa estou mais tranquila. Quando alguém vem falar comigo eu respiro bem fundo”, ensina ela.

Para Wesley Galassi, vice-diretor no Caic, a iniciativa está sendo muito bem recebida. “Vivemos um momento no Brasil de reconstrução curricular que preconiza trabalho com autocontrole e empatia, e o projeto desenvolve todas essas habilidades”.

As professoras explicam que o Relaxamento Guiado atende apenas alunos matriculados no Caic e que fazem contraturno no Educartes. Mas, até o final do ano, a iniciativa deve ser registrada para que assim possa ser compartilhada com outras unidades de educação. “Para nós é uma experiência maior do que para as crianças”, finaliza Ariane, uma das fundadoras.