Sexo e envelhecimento masculino: informe-se enquanto há tempo

sexualidade





Atualmente, com o avanço da medicina, recebemos de presente alguns anos de vida e estamos tentando entender como podemos aproveitá-los da melhor maneira possível.

Nossa expectativa ultrapassa os 75 anos e viver mais se tornou uma realidade. Antigamente as pessoas não se esforçavam para manter uma vida saudável, já que iriam morrer próximo aos 50 anos. Com o horizonte muito maior, desejamos esticar a qualidade de vida ao máximo, procurando manter a saúde sexual inabalável.



Mas você descobrirá que desejar apenas não será suficiente, pois as ondas de tudo o que você cuidou ou descuidou chegarão juntamente com as “novidades” da idade. A natureza não precisa mais de quem procriou e já contribuiu para a sustentabilidade da vida no planeta. A partir dos 40 anos teremos que fazer para merecer.

Como o envelhecimento afeta o desempenho sexual no homem? Todos (ou quase) já sabem que as concentrações adequadas de testosterona são fundamentais para manter o desejo sexual. Isso mesmo, já percebeu que a primeira mudança em você é justamente procurar conhecer muito mais sobre o assunto.

Falando em desejo, ele é o começo de tudo, e a perda dele deve ser investigada. Pode ser que a súbita perda de libido ocorra em função de outros fatores, incluindo humor depressivo, dificuldades no trabalho, ou ainda, má qualidade do relacionamento. Também afetam a produção de testosterona a dependência do álcool (muito comum), obesidade (em destaque a gordura visceral), resistência à insulina e usuários de medicação para doenças crônicas. Mas cuidado, a reposição de testosterona deve ser muito bem avaliada pelo médico especialista.

Também é importante considerar que a disfunção erétil (DE) pode ser causada por doença cardiovascular, ou seja, cuidar do coração, do peso e do estresse são fundamentais para diminuir os riscos de disfunções sexuais no decorrer da vida, especialmente após os 50 anos.

Como está o seu humor? Não há dúvidas das inter-relações entre hormônios e emoções. A depressão e os estados de ansiedade têm alto impacto no desempenho sexual em qualquer idade. Em 70% dos casos a causa da impotência sexual, como é popularmente conhecida a DE, é psicológica. A ansiedade é a causa emocional que mais bloqueia o mecanismo da ereção. Então, a sua saúde emocional também precisa ser muito bem cuidada.

Prometa-se que o principal compromisso daqui para frente será consigo mesmo, no sentido de fazer mudanças pequenas, mas necessárias à qualidade da função sexual. Motivação não vai faltar.